17 de abr de 2013

Os mestres e a idolatria


http://sp3.fotolog.com/photo/3/12/104/mariodemetrius9/1314416288751_f.jpg

103 - Disse Jesus: Feliz do homem que sabe por onde penetram os ladrões! Assim pode erguer-se, reunir forças e cingir os rins antes que eles cheguem.


Saber, estar em pé, estar alerta, estar armado – tudo isto se refere ao auto-conhecimento do homem. O homem profano não sabe, não está em pé, não está alerta, não está armado contra a invasão dos ladrões em plena noite.

A fortaleza humana tem cinco portas externas, os sentidos, mais três janelas internas, intelecto, imaginação, memória. Cada uma dessas aberturas para o mundo do ego externo pode servir de ponto de invasão. Quem não põe sentinelas vigilantes em cada um desses pontos vulneráveis não está seguro contra uma invasão de ladrões.

Vigiai e orai! É a advertência constante dos Mestres.

Inevitável é a tentação. Até Jesus foi conduzido ao deserto pelo espírito a fim de ser tentado. Não há nada de mal na tentação. O mal está em sucumbir à tentação.

Por isto oramos: não nos deixes cair (quando estivermos) em tentação. A encarnação do nosso espírito num corpo material é necessária para a evolução do nosso Eu divino. Mas, como a nossa alma é dotada de creatividade ou livre arbítrio, compete-lhe aproveitar-se dessa resistência para superar os obstáculos e não deixar-se superar por eles. A vida terrestre não é uma punição, mas um teste e um desafio para evolvermos e nos auto-realizarmos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...