22 de set de 2012

Sucesso e Fracasso

O sucesso de alguém só incomoda outra pessoa, se o sucesso for construído às custas daquela outra pessoa;

Se alguém tem inveja de outra pessoa, a inveja vive e se alimenta naquele alguém, e é ele que paga o ônus (vida) de manter isto;

O conceito do que é sucesso é que define o que é uma vida de fracassos;

O fracasso é tido como ausência de sucesso. Assim, se sucesso é satisfação de desejos, a vida será uma continuidade de fracassos, pois desejos são o lazer de vidas inconscientes;

O maior sucesso é o evolucional, é aquele que justifica a própria existência, e é feito de vitórias as quais nós nunca contaremos aos outros;

Isto de vencer a qualquer custo, de ter sucesso, de ser o melhor, o mais rápido, é só uma imposição social destinada ao consumo. A vida é (ou deveria ser) uma sucessão de dias tranquilos, de aprendizado, de maturação da alma, onde a obrigação evolucional é só fazer o nosso melhor, nem mais, nem menos.

Sucesso não é não errar. Sucesso é aprender com os erros, para sublimar o erro e a nós mesmos;

A vida não é uma escada, é um caminho em todas as direções, simultaneamente. Isto de escada é coisa de religiões, pois imagina-se que deus está no alto. Não está. Depois de andarmos, veremos que já está em cada um. Falta é coragem para contemplar nossa própria divindade, e quem não tem coragem de fazer isto, são os medos, dores e desejos que em nós (e de nós) vivem.

Trair alguém, é simplesmente trair a expectativa que alguém tinha, gerando desilusão. Só que para que haja desilusão, antes deve haver ilusão. E se há ilusão, é pq quem construiu a realidade, foram expectativas, isto em um eterno ciclo vicioso.

Trair, vem do latim tráditor, traditóris, e significa aquele que entrega deslealmente.

Só que veja que interessante: a raiz desta palavra é do, das, dátum dare, que significa presentear, dar, oferecer. Donde deriva, por exemplo, dádiva.

Assim, as vezes, o que pensamos ser uma traição, é uma dádiva evolucional, que vem para desconstruir, abrindo espaço para que a pessoa reconstrua, o novo!

Tamanho da traição, quem determina não é quem trai, mas aquele que se sente traído, pois é nele que as dores da traição se manifestarão. Quanto maior o entrelaçamento emocional em relação a alguém, maiores são as dores vitais no momento em que isto se rompe, e aplica-se a traição passional, afetiva, fraterna ou o que seja.

Sucesso, vem do latim sucéssus, e significa chegada. Assim, se não definirmos onde queremos chegar, jamais teremos sucesso. Se o sucesso for pautado na realização de desejos, a vida será uma contínua corrida, sem chegar nunca a um lugar definitivo, onde reine a paz, interna, preferencialmente;

A raiz de sucesso é céo, cédis, .. cédere, e significa ir, andar passar. Desta forma o maior sucesso, na essência, é ir, ceder o lugar, afastar-se. Abrir mão! Se vc cede, afasta-se, não haverá nunca traição, ficando o ônus da ação, residente e alimentando-se de quem a praticou.

O que trai, destrói a ligação com o que foi traído. Mas destruir tem sua origem em "de"(sentido contrário) e "struere"(que é construir, edificar). Assim, as vezes, algo pode ser destruído simplesmente pq não foi construído, edificado, em bases sólidas. E qualquer coisa construída, que tenha suas bases no astral, nas emoções densas, é séria candidata a ser desconstruída, simplesmente pq o astral é plástico.

Quando há uma traição, um rompimento (de rúmpo... rúmpere, que significa rasgar, dilacerar), o que fica é exatamente isto: as dores de uma dilaceração.

Mas quem é que sente estas dores da traição, do rompimento, da dilaceração, quem é que fica como coração ferido??? O sofrimento da pessoa que foi traída é derivado da falta de alimento. Aquele alimento que era dado pelo traidor, e que alimentavam (no traído) aquelas emoções, aqueles desejos, aquelas expectativas, aquelas esperanças, que faziam o mundo parecer "cor de rosa".

Assim, quanto maior o número de expectativas, quanto maior o número de emoções que se alimentavam daquela relação, maior é a dor no caso de um "de struere"!.

A traição só dói na pessoa traída enquanto ela quiser, e enquanto optar por ficar sentindo prazer em sofrer, sabendo que este sofrimento é só uma forma de alimentar aquela realidade que ela havia construído em relação a outra pessoa.

E aproveitando a oportunidade, por ter a ver com traição, paixão (vem da raiz pátior.. páti que significa sofrer, suportar), vem do latim passiónis que significa sofrimento, passividade. E é exatamente isto: o ser humano assiste passivo, sofendo, a festa astral em si mesmo, provocada pelas ilusões que crie com relação a outra pessoa.

E quando a outra pessoa não corresponde, ou quando a relação termina, de struere!! Mas quem construiu, o que foi destruído??? Ninguém constrói nada em outra pessoa, só em si mesmo. Assim, nós é que fazemos nossas próprias dores.

Por fim, a pessoa traída deveria dizer: " eu aprendi com a traição, e lhe agradeço, pois em mim, tuas dores não doem mais. Sublimei!!! Mas lhe pergunto: vc aprendeu a não trair mais?"

J. Oro


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...